domingo, 4 de dezembro de 2011

Voo de Balão - Águas de São Pedro

Eu estava devendo uma infos sobre o voo de balão que fiz ano passado para a Vanessa, e pensei, por que não já não fazer um post né? Afinal, não é de hoje que quero começar a postar sobre as viagens que faço, porém, sempre acabo adiando e nunca posto. Então considerem esse o primeiro post da série!

Bom, eu "caí de paraquedas" nesse voo de balão, que na verdade foi um convite da minha amiga Vanessa (outra Vanessa), então não fiz pesquisas quanto as empresas de voo, visto que ela já havia definido voar pela Air Brasil, empresa que conheceu através de anúncio que viu em alguma revista de aventura. E o balão que voei, foi exatamente esse ai que aparece no site.

Mas deixando pra falar do voo um pouquinho depois, optamos por ir pra Águas de São Pedro no sábado a tarde, e nos hospedamos no hostel "Estrela da manhã", o único hostel de Águas de São Pedro, é aconchegante e tem uma fofa geladeira de vaquinha.

Chegamos lá no fim da tarde, e decidimos ir curtir a tradicional festa de São Pedro, que ocorre todos os fins de semana do Ano na cidade de São Pedro, que é colada com Águas de São Pedro, bem perto.

Lá tinha muita comida de festa junina, bingo, churrasco, só ficou devendo nas músicas juninas, ainda mais pq era junho! Na frente do local da festa, tem uma praça bonitinha, com um coreto, que rende algumas fotos. Além da estátua de um cara que "Viveu e morreu em São Pedro, e foi poeta, somente poeta" segundo a lápide, fato que rendeu algumas risadas.

Depois, por ali mesmo, terminamos a noite em um boteco bebendo cerveja. O dia seguinte era o dia de madrugar para o voo.



Era junho, pegamos um fim de semana extremamente frio em Águas de São Pedro. Durate o dia fez bastante sol, mas o voo começa às 6 horas da manhã, ou seja, a van da Air Brasil pegou a gente no hostel aproximadamente 5h30, quando estava MUITO, muito frio!! E ainda completamente escuro. Os voos só saem a esse horário, pois depois disso não é seguro devido a intensidade do vento.

As instruções da Air Brasil era ir com agsasalhos leves para "caminhada", pois o fogo do balão ajuda a aquecer o interior da cesta. MENTIRA. Seguir esse conselho me fez passar o maior frio DA MINHA VIDA. Olha que já passei bastante frio em outras situações, estando completamente molhada inclusive, mas nada superou o frio que passei o voo de balão.

Quando chegamos no "aeroporto", ainda no escuro, tivemos a oportunidade de ver a equipe abrindo o balão, e depois inflando. O Voo saiu quando ainda estava escuro, e não era nada do que parecia ser. A cesta comportava 16 pessoas, além do "piloto", era bem firme e passava total sensação de segurança. E não tinha saquinhos de areia (huahauhuahua).
Uma coisa interessante é que o voo não tem rota nem local de pouso definido, vai indo para onde o vento levar e o local de pouso é totalmente surpresa, tanto para nós quanto para o Piloto.

O Voo é lindo, mas não dá medo, parece algo totalmente seguro. Vimos o sol nascer do balão, e é legal ver as vaquinhas correndo lá embaixo quando veem o balão passado. Mais detalhes do voo eu vou ficar devendo, porque sinceramente, eu estava com tanto frio que não consegui curtir o voo direito, passei parte do voo agachada na cesta pra me proteger do vento ( sério rsrs)



Pousamos na fazenda Santa Maria, e ai sim, foi a parte com mais de mais emoção, pois o pouso começou no meio de um CANAVIAL. E balão saiu arrastando cana pra tudo quando é lado, e o piloto conta com nossa ajuda pra jogar o peso pra um lado e para o outro. Nesse momento, o carro de apoio já está no local (pois ele vai seguindo as coordenadas por gps), e desce pessoas do carro de apoio pra auxiliar a direcionar o balão pro lugar certo ( no caso, tirar do canavial), jogar peso pra um lado e pro outro, de acordo com as instruções do baloeiro) essa parte é bacana demais aahahahaha).



O nosso pouso foi "sem emoção", segundo o Feodor (Piloto), pois dependendo do vento, pode ocorrer o pouso "com emoção", onde nos instruem a se posicionar de maneira específica na cesta, pois ela VIRA na hora do pouso. (Ainda quero pousar com emoção um dia! haha)




E como é a tradição vinda de algum país cujo não me lembro o nome, esse carro de apoio trás os suprimentos necessários para um café da manhã regado a champagne, com um brinde ao sucesso do voo!


Após o voo, a van da Air Brasil nos levou pra pousada, onde tomei um dos banhos quentes mais gostosos da minha vida! Depois fomos conhecer a cidade, almoçar e visitar as fontes de águas medicinais fedidas. Mas não se engane, tanto o local para tomar banho quanto para coleta das águas, é completamennte encanado, com torneiras, pias e etc. Eu fui achando que íamos pegar água direto da bica, e que os banhos eram piscinas naturais, não é nada disso!

Não fizemos nada além disso, retornamos cedo para São Paulo. Mas lá tem um parque com algumas opções de esportes de aventura (arborismo e coisas assim), que pode ser aproveitado.


Quanto ao pessoal da Air Brasil, não tenho do que reclamar, super profissionais e gente boa. Depois o Feodor (Piloto) ainda nos mandou as fotos que a equipe fez por terra, bem como a rota que o balão percorreu no google earth.

O custo do voo, em junho de 2010, foi de R$ 300 por pessoa, incluindo o translado do hostel para o local do voo e o café da manhã. Como estavamos em um grupo grande, tivemos 5% de desconto sob esse valor.